Segunda-feira - Dia de sopa.

Segunda-feira, dia da preguiça, o dia que você acorda com vontade de fazer nada, mas tem que trabalhar. Só que foi diferente pra mim. Aproveitei para dar uma limpada na máquina que estou escrevendo - o computador. Mas não fui eu, porque nada entendo..foi o Chad...hey Chad, thanks so much for the work you did for me, even so faaaarrrr away.
E mulher sempre acha algo a fazer, principalmente quando não tem a secretária do lar. Arruma daqui e dali, tira pó, areia, lixo, lava, passa, tritura....e nunca descansa por completo...privilégio esse da classe média-baixa, pobre assim como eu.
Lá pelas tantas surgiu a idéia de ir a praia, já que ela está logo ali. E ai botei aquela canga-vestido-fresquinho, peguei meu chapéu velhinho de dar medo, que tem gente que odeia...hello Mike, it is your favorite hat (he asked me to throw it in the garbage, but I keep it) e lá fui eu.
A noite chegou e a fome bateu. Lugar para comer pertinho não tem, então o jeito é subir ladeira em direção ao Rústico bar. Cansaço para minhas velhas pernas tortas. Ser velha não é defeito, não se tem mais forças como na juventude, mas isso não me faz parar enquanto tiver vida, no meu jeito de ser.
Bom para começar a segunda, não?



No caminho fui registrando o que acontece em Pium. Em uma esquina, exposição de móveis e artesanato de madeira. Tem também a placa conserta-se roupas. Mais a frente, um culto evangélico no meio da rua.

 E enfim, o Bar. Já apresentei ele aqui. O menu escolhido de hoje foi sopa.




Comments