Chic and cool a la parisiense, com Ines de La Fressange


Para quem é fascinada no estilo parisiense por achar chic, cool, clean and fashion, a escritora  Ines de la Fressange , em sua obra A Parisiense, dá as dicas para quem quer entrar nos eixos.

Quem ainda não leu o livro, aqui vai alguns trechos interessantes:
“Você não precisa nascer em Paris para ter o estilo da parisiense. Eu sou o melhor exemplo disso: nasci em Saint-Tropez! Ter um estilo “made in Paris” é mais um estado de espírito. Ser alternativa e nunca burguesa, por exemplo. A parisiense jamais cai na armadilha das tendências: ela respira o l’air des temps e as usa com critério, eis sua receita secreta! E sempre tem um objetivo: divertir-se com a moda. Ela segue algumas regras, mas adora transgredi-las também, faz parte do estilo. Os seis pontos a seguir têm o seu DNA. C’est facile!
Vive la Rive Gauche!A parisiense da margem esquerda do Sena tem um estilo “tipo exportação” e marca muito bem esse diferencial. Ela passeia em Saint-Germain-des-Prés e foge de tudo que é exagerado e chamativo. Não ter cara de perua é a ideia. Detesta brilhos e etiquetas. Uma parisiense não está à cata de um marido milionário. Ela não vai gastar muito para deixar uma etiqueta à mostra. Quer ficar elegante, e exige qualidade. Seu luxo? Uma marca que garanta o bom gosto sem ostentar o preço.

Destaquei o "detesta brilhos"..hahaah...eu sou a reprovação total do estilo parasiense, porque amo qualquer coisa que brilhe.
 
Como não se tornar vítima da moda?Antes, refletir -sempre se pergunte: “Se eu comprar essa roupa, será que vou ter vontade de vesti-la hoje à noite?” Se a resposta for “não”, “vou vestir em casa”, ou ainda “nunca se sabe, pode ser que numa festa”, é melhor se mandar rapidinho da loja.

E agora? depois de ler essa frase mágica, será que as consumistas irão continuar a comprar? óbvio, como diz aquela velha frase: pau que nasce tordo até a cinza é torta. Ok, isso serve pra mim..:)).....não sou consumista aos extremos para adquirir tudo que vejo e encanta os olhos (mas é quase isso e só não compro por falta de bufunfa), mas admito que essa frase deveria ser coloda na testa antes de pensar em entrar nas lojas. Aquela peça comprada por impulso pensando em usar um dia - que a oportunidade irá aparecer, podes crer, o dia nunca chegará para cair dentro daquela blusa desajeitada que não casa com nada que tens no closet. É o verdadeiro desatre essas compras perigosas, um queima dinheiro e abarrota closet. E na hora de achar uma peça pra sair qual é a frase mais ouvida? não tenho roupa nem sapato para o evento!!

LISTA DA REGRAS
10  MELHORES IDÉIAS PARA SEGUIR:

Nas 238 páginas há sugestões de como se vestir, lojas  com  roupas baratas, truques de beleza, cafés charmosos e até de decoração. 

A Colunista da IG preparou  um top com as melhores  5 regras:
- Mescle couture com street culture
- Use maxiacessórios com silhuetas simples
- Meias brancas com sandálias são proibidas
- Evite camisetas com mensagens supostamente engraçadas
- Não use calcinha fio-dental com calça jeans baixa


Nas revistas de moda não só a mãe é exemplo de requinte e bom gosto ao estilo parisiense, como a filha  Nine, que também está no livro. Filho de peixe peixinho é.

Video exibido no youtube resume o que encontrarás no livro.


Comments