Sexta no Bar do Doca + buchinho de porco


Não é pra desanimar, mas o calor está pra deixar qualquer mortal pensando que entrou na menopausa – as mulheres,  mas diria que valeria para os homens. Desculpa aí Minas, não sei os outros lugares, mas a temperatura em BH está no topo, no arrepio geral. Não tem vento, só aquele mormaço de fritar ovos. 
E com esse calor insuportável o jeito é correr para o bar. Se não tem mar, arranja-se com o que há na cidade e bares não faltam.
Depois de sacudir o corpo pra dar ânimo, sexta-feira foi dia de dar uma batida básica no buteco, o famoso pós expediente, onde o papo rolou solto com cerveja gelada e errada no petisco, mas valeu, porque galera animada espanta o calor. O escolhido da noite foi o Bar do Doca, no Gutierrez.
Domingo, ao invés de dormir, foi dia de ir a luta. Café da manhã no mercado central com pão de queijo e bolo caipira. Foi o famoso comer e suar. Deu ainda pra observar o povo passar ou chegar até ao café. Cada um com seu estilo no calor sufocante. Tinha até noiva tirando fotos por lá...a festa deve ter durado até ao amanhacer...ufa, coitados, com o calor....não gosto nem de imaginar...rs
E veio a hora do almoço. Esse foi presente da amiga, que pra animar, trouxe do interior buchinho de porco recheado. E lá fui eu animadíssima pra casa dela. Um papo maneiro regado a cerveja gelada rolou solto, que valeu por anos de terapia. Amizade é assim, fala-se de tudo e  um pouco a mais sem medir as palavras. São boas risadas, desmedidas, descompassadas, sem frescuras.


Melhor do dia foi o buchinho com arroz e salada que estavam divinos. Gosto é único, individual, cada um tem suas preferências, eu amo buchinho. Ele precisa ser bem feito e o que comi, estava assim, no ponto, com sabor e pimenta, simplesmente perfeito.
Muita gente não tem noção do que estou falando, mas buchada de porco é o bucho recheado com os miúdos do próprio porco. Esses são triturados e levados para dentro do bucho que deve estar super limpo. E aí, costura-se para o recheio não sair, cozinha por horas e depois frita na gordura para a casca ficar crocante. Fica assim oh...


Comi e muito. Não era pra menos, depois de anos sem ver um buchinho eu tirei a barriga da miséria, com se diz em Minas...hehehe.
O diverto foi assistir a amiga cozinhar. E eu não podia deixar de registrar esses momentos culinários, com direito a uma viagem pela cozinha.

Os pequenos detalhes da cozinha da amiga....não, ela não gosta de cozinhar, domingo foi uma exceção.

Vista da janela....BH e suas montanhas invadidas.
Foi um lindo dia de sol e muito calor, mas valeu e muito.

Boa semana pra nós.


Comments