Pashmina: a peça chave para o inverno nordestino

Inverno que tanto amo e eu longe de Minas sem sentir um frio na canela, porque ainda estou na cidade do sol que nessa temporada está mais para a cidade das chuvas. A parte boa é que a temperatura cai um pouco e se consegue sobreviver sem ar condicionado dependendo do dia. Nas noites mais ventosas é capaz de se sentir um frio passando pela pele, mas não o suficiente para usar um suéter, a não ser que ele seja super mega light. Uma pashmina é o suficiente no inverno potiguar. Foi pensando nisso que, na visita ao local que vende açaí, encontrei essa pashmina e morri de amores. Resultado: ela veio fazer parte do meu armário.

minha nova aquisição e a bolsa de brechó
Quem vendeu tinha acabado de chegar de Marrocos com umas mercadorias locais, incluindo a pashmina. O mais engraçado é que quando estive por lá, não encontrei nada que me agradasse.Vai ver não tive tempo de procurar. Foi preciso alguém viajar, fazer a escolha e revender para a pessoa aqui...kkkk

Espero usar e abusar muito dessa peça, não só aqui, mas por onde eu andar. E no intuito de fazer uso  ando jogando ela com tudo, sem olhar se combina. Ventou e esfriou um pouco que seja? ela vem comigo!
No restaurante do Hotel Blue Marlin de Cotovelo/RN. O dia que devoramos um camarão maravilhoso e ainda arrematamos com uma super sopa

Em dia de pizza com amigos, que o vento estava geladinho a pashmina protegeu o suficiente. Talvez tenha sido a noite mais fria que já presenciei em Natal/RN.
com uma cor neutra, a pashmina fez o seu papel de destque

Quem bebe não dirigi, é a regra!
 
Em frente a pizzaria. Esse dia estava uma temperatura perfeita, de desejar que durasse mais 364 dias...hahaha

o engraçadinho da noite...Mike acha que as mulheres ficam fazendo poses para fotos e resolveu imitar..kkkkk
...e é claro que a galera da mesa rachou de rir....
Xoxo!

Comments