Pompeia/ Itália, a cidade que foi destruída pelo Vesúvio em 79a.c. e os corpos petrificados


Tem gente que diz: ser sucinta na vida resolve muito; que quanto mais se fala mais se complica; que longos discursos permitem os telespectadores dormirem...resultado – o resumo da viagem que eu pretendia relatar nesse blog está longo por demais. Cansei. Resumidamente foram 23 noites com inicio em Lisboa e finalização em Roma. De Londres o destino foi Bélgica, Holanda (países baixos), Alemanha, Suíça e Itália. Já postei sobre os caminhos dos alpes suíços, os muros e a casa de Julieta em Verona, Itália.
O resto, o que mais me chamou a atenção tirando a beleza de cada ponto, foi Pompeia / Itália, a cidade destruída e que teve seus habitantes mortos com a erupção do Vesúvio, esse monstro que continua em atividade até hoje. Pompeia foi e relata uma cidade romana toda organizada com suas ruas de pedras. Sim, calçamento que tanto sonhamos em nossas cidades brasileiras as quais deixam a desejar e, aquela, da era romana não era nem é assim tão pequena, tinha sua pavimentação em pedras.


Ruelas todas bem programadas, algumas mais largas outras mais estreitas. Casas mais pequenas e outras maiores que, segundo os historiadores, estas últimas representavam famílias de poderio. 
aqui era um grande cômodo de uma das mansões com piscina térmica...a água quente passava por baixo dessas divisórias, aquecidas com o fogo contínuo  do outro lado da parece...um procedimento sábio. Tem lá suas regras explicativas que não me recordo bem, mas as águas quentes eram distribuídas nessas divisórias de tijolos aparentes.
detalhe de umas das paredes...uma das escadas para se entrar na piscina. Ainda se percebe em várias partes as cinzas vulcânicas..

decoração do teto da casa que tinha piscina aquecida....grande, grande...
E são nelas que se vê a sapiciência dos romanos como as piscinas internas nas mansões que eram aquecidas, mesmo sem a tecnologia de hoje ou a eletricidade. Os telhados se foram, porém as paredes e as marcas daquele povo ficaram. A cidade por inteiro foi descoberta entre as cinzas e larvas a mais de 1600 anos da erupção, o que contribuiu pela preservação e petrificação dos corpoes de alguns habitantes.


Essa casa até as pinturas na parede resistiram ao tempo. Os corpos ali encontrados que se julgam ser a familia, continuam a habitar o lar. Foram-se as vidas ficaram os ossos entre as cinzas.

nas casas maiores, logo na entrada havia sempre um local com água

as imagens acima são de dentro da casa. Eles reconstruiram o telhado considerando que esta  estava bem conservada e para demonstrar como eram os lares maiores. Umas das poucas abertas para visita.
Em todo canto nota-se o quanto era bela, organizada e com material durável. A resistência dessas construções suportaram todos os desastres da natureza e a ganância do homem de hoje desde os seus 300ac. O Vesúvio a degoliu em 79ac. A lama e as cinzas a ocultou por décadas. As marcas ficaram. Corpos foram petrificados e  resultam, para os olhos de hoje essa realidade passada, presente e futura do quanto a vida pode chegar ao fim de surpresa. A natureza é, sem dévida, surpreendente. 




Não, as imagens abaixo não são estatuetas...




objetos que sobraram (após vários saques)  foram recolhidos. 

 imagem do cachorro, da agonia...e seu fim petrificado....e do homem que se foi onde a imagem demonstra que ele tentava proteger a respiração , os olhos...no meio da negritude das cinzas.
 ...São seres humanos que foram sufocados pela fumaça, cinzas e calor em 79ac. Veja a posição da busca pela vida, de se livrar do sufoco, da asfixia. Mas não houve alternativa. Os corpos foram assim encontrados. Tiraram o interior e encheram de gesso. O Externo é o corpo, a vida e semblante desse povo que ali viveu e seus últimos momentos de vida. O grito ou silêncio da dor em meio a negrite do vulcão.
coliseu bem na entrada da cidade
aqui aconteciam as ginásticas tipo olímpicas, havia piscina e outros serviços, que se podia dizer uma espécie de SPA.
ao fundo a imagem do grande monstro vivo chamado Vesúvio, aquele que, a qualquer momento poderá lançar uma surpresa
 

Uma cidade inteira, completa, organizada, com coliseu, SPA, esportes olímpicos com direito a piscina e anfiteatro e um grande teatro a céu aberto. Uma organização que gostaríamos e sonhamos possuir depois de 2092 anos em nossas cidades ou pequenas vilas.
 E assim está aquilo que resiste ao tempo...a sabedoria romana.

Comments