A Basílica de Sacré-Cœur, Paris e o restaurante "Marrenon" em Montmartre

Agora vou contar o episódio do dia que resolvi ir até a basílica de Sacré-Cœur.  Não sou uma boa turista, e confesso que orientação de direção não é o meu forte. Ao ver um ônibus parado na minha frente escrito Montmartre, aventurei a entrar e só depois de estar lá dentro é que resolvi indagar se ia até a basílica. E lá fui eu na maior cequeira, porque eu insisto a não usar óculos quando estou na rua, dentro do busão tentando entender o mapa, onde eu teria que descer, com aquelas letras de bula de remédio ou da parte dos contratos com cláusulas absolutamente leoninas. Claro, desci em lugar errado, apesar de não muito longe. 

Foi subir e descer ladeira, em todas as direções, praticamente andando em círculos, porque a cada ser vivente que eu indagava a direção da Catedral apontavam para lados opostos. Que tristeza. Eles estavam na mesma situação minha, não sabiam a diferença de norte e sul...kkkk. Obviamente eu ali, com o mapa das ruas e a figura da Sacré-Cœur de todo tamanho, mas ninguém tinha a magia do saber onde ela se escondia. Cadê que ninguém conseguia enxergar a danada apesar de estar lá no topo? Pra compensar a situação, os nomes estampados nas placas das ruas não existiam no mapa que eu carregava pra baixo e pra cima. Que mapa esse? só os anjos para ajudar. Foi então que  apareceu um anjo e apontou uma direção toda diferente e frizou: vai reto, vai, vai e sobe fazendo umas curvas até o topo e verás o que procuras. Amém, ele estava certo. 

e o que fui encontrando pelo caminho...esse já estava quase lá...era só fazer mais uma curva no final da rua





E no topo da montanha uma visão da bela Paris. 

a arte e a arquitetura



as maravilhas dentro da Catedral

Se as subidas e as perdidas foram até divertidas, bom mesmo foi a descida, onde, ao lado do metrô Abbesses, depois de ficar horas em um brecho, antes dessa perdida de compras vintage, o que me encantou o estômago foi um restaurante que acho ter o nome de MARRENON (conforme diz a placa, mas não achei no google) hehehe. ..desculpa aí, mas sei que se algum dia eu voltar, depois de perder, claro, vou conseguir encontrá-lo.
A rua é essa que aparece ao fundo...se alguém é bom em recordações vai saber


O prato chefe da casa é o que está na placa da esquerda. Serve duas pessoas, mas como eu estava faminta devorei tudinho.O pavê estava divino.

Comments