Olinda: A cidade das casas coloridas e um marco da história brasileira

De volta em terras de tupininquim, passando por Minas Gerais (terra amada), peguei carona com uma amiga rumo a Pernambuco pra molhar os pés em mares de tubarão, já que eu tinha que subir pelos lados onde o vento faz a curva. Ali do lado de Recife está Olinda, a cidade colônia mais preservada do Brasil, esse patrimônio histório e cultural, com histórias mil pra contar, e suas casas coloridas, onde tudo parece ser pura alegria, muito embora o calor faz a gente quase desanimar de subir ladeira, mas vale a pena visitar.
pela propaganda e cores dá pra notar quem patrocina a ideia...rs...
Não só em Recife, mas em Olinda tem bicicletas para pedalar pela cidade, quase ao estilo Paris. Pode até não funcionar bem ou ficarem ali abandonadas, mas é um grande começo para incutir na mente do cidadão brasileiro o quanto essa ferramenta faz bem, não só para a cidade, mas ao coração de quem se aventura a se equilibrar e pedalar.
E aqui vai um trecho sobre Olinda, segundo o Wikipédia, para se ter uma pequena noção da  dimensão da história desse lugar.....

"Em 1630, Olinda foi tomada pelos holandeses, que a incendiaram no ano seguinte; em 1654 os portugueses retomaram o poder e expulsaram os holandeses. Olinda voltou a ser capital de Pernambuco, muito embora os governadores residissem em Recife. Por volta de 1800, com a fundação do Seminário Diocesano e, em 1828, do Curso Jurídico, transformou-se num burgo de estudantes. Deixou de ser a Capital da Província em 1837, perdendo o título de capital para o Recife.
Sob certos aspectos, Olinda rivalizava com a metrópole portuguesa. Seus velhos sobrados tinham dobradiças de bronze, enquanto as igrejas, principalmente a Sé, ostentavam, em suas portas principais, dobradiças de prata e chaves fundidas em ouro.
Foi no Senado da Câmara de Olinda que, a 10 de novembro de 1710, o sargento-mor Bernardo Vieira de Melo deu o primeiro grito em prol da independência nacional.
Os primeiros cursos jurídicos do Brasil, criados pelo Decreto Imperial de 11 de agosto de 1827, foram inaugurados solenemente no Mosteiro de São Bento, a 15 de maio de 1828. Antes de sua transferência para Recife, os cursos jurídicos funcionaram no prédio em que atualmente se encontra a prefeitura."

É muita emoção para um lugar só. 
um dos símbolos de Olinda...as sombrinhas coloridas...

a praça e a igreja que é linda por dentro. Vale a visita para ver o trabalho dourado do altar.
estão tentando recuperar o teto...
arte pelas praças...resquícios passados...e por que será que os homens de hoje não continuam com tais belezas?
igreja do mosteiro de São Bento e os coqueiras

Foi um passeio rápido na maior das aventuras. Pegamos um ônibus até vazio na ida...com emoção de passar por um outro parado e vários policiais à volta...disseram que era assalto. Para voltar a Recife, em pleno sol e calor do meio dia, aventuramos com busão novamente que veio lotado. Quase 2 horas na sardinha por causa do trânsito em Recife. 

E assim foi a experiência do transporte público no Brasil: a forma carinhosa e preparada para receber o turista com copa ou sem ela. Olé! E viva Olinda, a linda.

Comments