New York City: hotel ou hostel mais barato - YMCA

Viajar é renovar a alma e voltar  com conhecimento de novas culturas ou,  no mínimo, com uma mala a mais cheia de tranqueiras e o cartão de crédito estourado kkkk. Para os menos afortunados, tipo eu, o que mais pesa em uma viagem é hotel. Com a alta do dólar é um susto o preço das diárias quando se faz a conversão. Eu gosto de hotel bom ou no mínimo confortável. Não, eu não sou chata nesse quesito, só um pouco. Mas como a vida não segue o rumo que planejamos, temos que nos adequar, não é mesmo? E parar de viajar, nunca. Ainda que para isso seja necessário um novo carnê da CVC a perder de vista. Claro que a vida é uma surpresa, e amanhã tudo pode ser diferente.

Na última viagem a NYC minha estadia foi em um hotel já conhecido, básico e bom. Só que decidi estender uma noite e não havia mais vaga. A city estava com os hoteis lotados e os únicos com vaga tinham preços dos olhos da cara e os pés juntos. Então, sobrou a opção de hostel. Fui de YMCA. É conhecido e tem uma longa história (helllo Wikipédia)  e ter servido de uma espécie de residência estudantil.   

Optei pelo quarto individual e não é que gostei? Não era aquele quarto enorme, mas com espaço suficiente para chegar até a cama..kkkk. Para surpresa, o quarto tinha um local para pendurar roupas, um mini refrigerador, TV e pasmem: uma mesa de trabalho ou estudos.  Pra mim é essencial, pois viajo e continuo a luta. O colchão era firme e lençois macios.  O hostel inclui toalhas sem ter que alugá-las. Possui cozinha em cada andar, devidamente equipada (só não achei panelas), microondas etc. Os banheiros, 4 por andar, são individuais, quer dizer: você abre a porta com a mesma chave do quarto, tranca e fica lá tomando o seu banho, tendo o seu momento íntimo sem uma multidão de gente ao seu redor. Dá para retocar a maquiagem sem levar um tapa de cabelo molhado das coleguinhas sem noção kkkk. 





O YMCA possui outras unidades na city e fiquei na da 47th próximo a ONU. Para os amantes de academia, eles possuem uma enorme aberta ao público com direito dos hóspedes usarem. Possui ainda sauna e tudo isso pode-se usar gratuitamente. Tem internet free. Só não tem café da manhã, mas poderás fazer compras e preparar na cozinha. 
O que me aborreceu: o heat/aquecedor. Era inverno e a city estava congelante. Lá pelas tantas da noite, o aquecedor fazia barulho a cada hora (nas minhas previsões) como se fosse a locomotiva chegando. Você esperava, ela estacionava e fazia uma barulho como se estivesse desmanchando..kkkk..depois de uns minutos fazendo batucada no quarto, ela se ia  e o barulho que ficava era como se os parafusos estivessem soltando as arruelas. Foi difícil dormir, se é que consegui, pois o trem vinha sempre até ao amanhecer. Segundo informações de um brasileiro que lá trabalha, a troca da tubulação tem alto custo, então, quem se hospedar no inverno vai ouvir tais canções.

vista dos arredores



Comments