Viagem: Tour de barco na Croácia - de Porec a Rovinj e Vrsar

Passear de barco é um programa que turista deve fazer. 

Pelo sim ou pelo não, àqueles que amam um balanço do mar, fazer um passeio imperdível para desfrutar das águas claras esverdeadas ou esmeraldas do mar adriático, com oportunidade de conhecer outras vilas na Croácia, dependendo do ponto/cidade que estiveres é programa certeiro e divertido. No caso, a partida foi Porec com destino a Rovinj.

O barco à la pirata sai próximo aos principais hoteis de Porec e inicia-se em torno das 8 da manhã com retorno à tarde, e o destino direto é Rovinj.

Há várias opções de passeio, mas a de um sábado de sol, em pleno verão europeu, foi de um roteiro com duas vilas o dia inteiro. Acorde cedo, tome café da manhã ou saia correndo com algo na bolsa para comer se és uma pessoa faminta. No preço que  é (ou era) em torno de 30 Euros por pessoa está incluso água e almoço no barco servido mais à tarde, no retorno de Rovinj e em direção a Vrsar.

O barco vai tomando o seu rumo pelo mar e quando menos se espera chega na vila medieval da era romana, pois está ali do lado da Itália. Chegou a ser incorporada no império Bizantino,  vieram outros impérios dominando após o Sec. VI, foi governado pela República de Veneza, quando se ergueu as muralhas. Mas em 1797 passou a ser império Austríaco, que naquela época, a maioria da população falava italiano (já imaginou a confusão de italiano e alemão?). Em 1947 foi cedida para a Yugoslávia. O resto da história vem com a independência. Esta é Rovinj, aquela em que pensas estar na Itália. Croácia tem uma história interessante, foi invadida pela Alemanha em 1941, e aos que não se alinharam ao fascismo cairam nos campos de concentração e, dizem, que até hoje os croatas são acusados de nazistas por alguns revoltados da ex-Yugoslávia. Em 1991 a Croácia foi separada da Yugoslávia e logo em seguida invadida pelos sérvios que finalizou com a intervenção das Nações Unidas e reconhecida sua independência em 1992. Aos poucos foram recuperados todos os territórios ocupados pelos sérvios com o último em 1995.  (Fonte e para maiores informações: Wikipedia).

A pequena cidade é uma graça com suas ruelas de pedras que, por vezes, imagina-se estar realmente em algum lugar da Itália. Com todo o charme medieval que é a cidade e pouco tempo no tour, ao descer do barco saia em direção ao topo onde a igreja se destaca e depois desça em direção ao mar, se perdendo e se achando pelas ruelas. Aproveite e tome um café ou um vinho - sim, Croácia tem bons vinhos com preços excelentes e, sendo influenciada pelos italianos, a opção é variada.

o barco 
Os barcos chegam e saem nesse ponto. Ao fundo dá para ver a torre da principal igreja em Rovinj. 



Essa foi a parada eleita para um vinho local. 
Para quem é mais ousado, dá para tomar um banho de mar pulando a partir das pedras, pois essa é a praia dos amantes do sol. Eles estendem suas toalhas e ali ficam torrando o dia todo de posse de seus livros, diferentemente dos brasileiros que tomam posse de cerveja.kkk.

A vila é tão charmosa que o ideal seria passar uma noite ou talvez duas para aproveitar o máximo não só das praias de pedra como da noite. Dizem que a noite ferve!!
Bateu perna sem muita parada, chegou a hora de partir para o próximo destino enquanto se almoça no barco. O almoço é bom e bem servido.


Falou em comida eles aparecem em bando para pegar as sobras ou mesmo tentar capturar no ar ou na água o que as pessoas jogam para incitá-los a seguir o barco. 

O próximo destino dura pelo prazo de almoçar enquanto se encanta com a natureza à volta e pronto, chega-se a Vrsar. Nome estranho com 3 consoantes juntas e assim é quase tudo em croata ou húngaro. Ali, dá para apreciar a praia, tirar um cochilo em alguma sombra ou degustar alguma guloseima ou drink em um dos restaurantes nos arredores. Não há muito o que fazer com o curto tempo no local. 

a cidade fica do lado esquerdo e com uma boa distância. O melhor é curtir a praia para não perder o barco de volta ao hotel.
...e a vida vai passando....
praia de pedrinhas
A transparência da água é absurda nesse local. O grande problema são as pedrinhas com conchas quebradas que cortam os pés, além do risco de ouriço do mar - sim, todo cuidado é pouco. O ideal é usar as sapatilhas específicas para esse tipo de praia. Levar um corte ou ter um espinho de ouriço espetado no pé é muita dor e em pleno tour ou viagem é estraga prazer. Então fica a dica: leve a sapatilha na bolsa. Não se esqueça de ter sapatos confortáveis nos pés para subir e descer as ruelas em Rovinj.

cadeiras são do hotel em frente a praia.  Para quem tem fòlego para nadar dá para ir até o playground na água e voltar a ser criança.
O que levar na bolsa: sapatilha, roupa de banho, protetor solar, toalha....
De resto é curtir o tour ao máximo.

Comments